Concerts, CorDaVoz

Madrigal CorDaVoz canta Minas Gerais

CorDaVoz_Minas

O Madrigal CorDaVoz apresenta o pocket show Madrigal CorDaVoz canta Minas Gerais no próximo dia 25 de agosto, às 20hs, no Anfiteatro da Santa Casa de Rio Claro.

No repertório, canções de compositores mineiros do Clube da Esquina, como Milton Nascimento, Lô e Márcio Borges, Beto Guedes, Flávio Venturini, Fernando Brant, Ronaldo Bastos e também João Bosco e Dori Caymmi.

O Anfiteatro da Santa Casa de Rio Claro fica na Rua 1, entre Avenidas 15 e 19, em frente ao estacionamento do hospital. A entrada é gratuita.

 

CorDaVoz

2° Cadeiraço – ONG Mais Forte que a Deficiência

No próximo sábado, dia 26 de agosto, eu e mais integrantes do Madrigal CorDaVoz  vamos participar do 2° Cadeiraço, um movimento social na luta pelos direitos das Pessoas com Deficiência, promovido pela ONG Mais Forte que a Deficiência, em Rio Claro.

E aí, vamos lá cantar e ajudar?

Dia 26 de agosto a partir das 8h30.
Concentração: Jardim Público – Rua 3, Centro – Rio Claro-SP

Cadeiraco

 

Dalcroze - English, Dalcroze - Português, Move Música

Move Música – 2016, thanks and pics!!!

Em agosto passado, fizemos a primeira edição do “Move Música” em minha cidade natal, Rio Claro, SP.

Em 4 turmas com idade diferenciadas, pude compartilhar um pouco do Método Dalcroze e sua base de ensino musical através de movimentos corporais.

Gostaria de expressar a minha imensa gratidão à minha irmã de arte e parceira, Tatiana Leite e a todo o pessoal do Estúdio de Dança Tatiana Leite pelo apoio e espaço maravilhosos!!!

Seguem algumas fotos!

********

Last August, we put together the first edition of “Move Música”, in my hometown, Rio Claro, in Brazil.

In this occasion, I could share a little bit of the Dalcroze Method and its teachings of learning music through body movements.

I would like to express my gratitude to my sister in art and partner, ballerina Tatiana Leite and everybody at “Estúdio de Dança Tatiana Leite”for all the support and beautiful space!!

Take a look at some amazing pictures!

*****

Turma de 3 a 5 anos/ 3 to 5 years old:

move_musica_3_5

Turma de 6 a 8 anos/ 6 to 8 years old:

move_musica_6_8

Turma Pre-Teen (9 a 12 anos)/ 9 to 12 years old:

move_musica_9_12

Turma Adultos/ Adults:

move_musica_adultos

 

Dalcroze - Português, Move Música

Workshop Move Música

Mi_dalcroze_poster2.jpg

Há tempos que eu planejo trazer um pouco do que estudo sobre o Método Dalcroze para minha cidade natal, Rio Claro, SP. Enfim chegou a hora, a primeira de muitas, eu espero. Em parceria com  minha irmã de arte, a talentosíssima Tatiana Leite, vamos realizar alguns workshops na cidade, para diferentes faixas etárias.

Nos dias 12 e 13 de agosto de 2016, vou compartilhar com os interessados, minhas experiências estudando música através do movimento. Já descrevi aqui, em diferentes posts, como me senti “em casa” quando comecei a estudar Dalcroze. Pra mim, é uma das maneiras mais profundas de se conhecer música. Nascemos e vivemos habitando nossos corpos e às vezes, a correria e exigências do dia a dia, inclusive no nosso fazer musical, ficam tão técnicos e racionais, que nos esquecemos que a música floresce primeiramente em nós mesmos, no nosso interior, coração, sentimentos, veias, músculos e mentes.

Dalcroze conecta tudo isso, num jeito lúdico e orgânico. Quando digo “profundo”, quero dizer que realmente sentimos essa experiência em nossos âmagos, nosso centro, nosso “core” físico. Antes de ter contato com o método, procurava definições em sites e textos e nada encontrava. Só mesmo fazendo é que entendi.

No nosso encontro, vamos trabalhar noções básicas de música, como pulsação, subdivisões rítmicas, fraseado, dinâmica e o que mais o tempo nos permitir.

“A Rítmica Dalcroze pode ser definida como um método de ensino musical que usa os movimentos naturais do corpo com origens no trabalho desenvolvido pelo educador musical suíço Emile Jaques-Dalcroze no começo do século 20. Em essência, este método deriva do conceito de que o corpo humano possui todos os ingredientes necessários para se entender o fenômeno musical; os movimentos naturais, como uma reação às atividades auditivas, são a base para o estudo do ritmo e as conexões que ocorrem entre o corpo e a mente podem ajudar a se entender a teoria musical.” www.milenecorso.com

“O Método Dalcroze foi desenvolvido no começo do século 20 pelo músico, compositor e educador suiço Emile Jaques-Dalcroze, que acreditava que o ritmo é um elemento vital no ensino musical. Conhecido como um “treinamento musical através do movimento”, o método Dalcroze usa o corpo para desenvolver uma fundação musical forte e um sentimento natural pela música. Uma vez tido como “avant-garde” (à frente de seu tempo), a Rítmica Dalcroze tem influenciado os campos da música, dança, teatro, terapia e educação por mais de um século.” http://www.kaufmanmusiccenter.org/lms/program/dalcroze-for-children1/

E ai, bora lá?

12 de agosto * Sexta-feira

18h – 9 a 12 anos

19h – Adultos

13 de agosto * Sábado

10h – 3 a 5 anos

11h – 6 a 8 anos

Inscrições:

Estúdio de Dança Tatiana Leite

Av. 7, 540, entre ruas 6 e 7

(19) 3597-9000 / Whatsapp: (19) 99792-5878

Infantil – R$20,00 (1 hora)

Adulto – R$30,00 (1h 3o min)

 

Artistic Roots, CorDaVoz

Celebrando Irmã Hermínia * Celebrating Sister Herminia

(English Translation below)

Fotos Missa (7)

Em minha mais recente temporada no Brasil, tive a felicidade de participar da Missa em Ação de Graças pelos 85 anos de Ir. Hermínia M. Zago. Emoção pura! Fotos Missa (95)Cantar novamente com o Coral Jovem da Matriz de São João Batista de Rio Claro foi voltar no tempo e relembrar anos de amizade e boa música.

Ir. Hermínia é do Rio Grande do Sul, faz parte da Congregação das Irmãs do Imaculado Coração de Maria, e há mais de 60 anos compartilha sua vida musical com minha cidade natal, Rio Claro. Lecionou música no Colégio Puríssimo Coração de Maria, onde criou o Conjunto Melo-Ritmico e o Coral Infantil. Fundou também o Coral Jovem, como era carinhosamente chamado, no final da década de 70 e diferentes gerações de cantores vieram homenageá-la em agosto passado. O grupo era referência musical na cidade de Rio Claro e ganhou prêmios pelo estado.

Fotos Missa (48)

Minha história com Ir. Hermínia começa em 1995. Eu já admirava o trabalho dela junto ao Coral Jovem de antes, mas foi em janeiro de 95 que decidi tentar uma “vaguinha” junto às contraltos! Os ensaios gerais eram aos sábados, com ensaios de naipe durante a semana. Problema! Eu estudava arquitetura em São Carlos e não teria como comparecer durante a semana. Como eu tocava piano, convenci a Irmã que poderia treinar minha parte por conta própria! Quanto aprendizado! Postura, técnica vocal, leitura de partituras a 4 vozes, viagens, competições, prêmio e muito mais! Tudo isso em 2 anos (apenas!!!) onde tive a oportunidade de conviver com ela no Coral!

Ir. Hermínia teve uma “premonição” que mudaria minha vida. Foi em uma das viagens! Itaporanga, se não me engano! No caminho de volta, dentro do ônibus, estávamos cantando, ela me puxa de lado e fala: “Milene! Que tal a música?! Já imaginou, você, regendo corais?”. “Eu, irmã???!!! Não sei não! E a arquitetura???”

Pois bem! Não é que ela estava certa?? Em três anos, lá estava eu, fazendo vestibular para música, em Campinas. (E quem me acompanha ao violão na prova de aptidão? Marcelo Santos!).

Fotos Missa (77)

No final de 1996, Ir. Hermínia teve um problema de saúde e o Coral tinha suas costumeiras apresentações marcadas. Foi então que chega o Marcelo Santos, estudante de regência da Unicamp, para nos preparar.

Eu me formava em Arquitetura naquele ano e aí não teve jeito! A música me pegou de vez! Da formação em piano clássico veio toda a base musical, mas a paixão pelo canto foi despertada, entre outros grupos, dentro do Coral Jovem da Matriz de São João Batista! E lá fui eu, acompanhada pelo Marcelo, fazer a prova de aptidão para Música Popular – Canto, na Unicamp, em Campinas.

Quando o Marcelo não pôde mais reger o Coral Jovem, os integrantes que ficaram viraram pra mim e disseram “Agora é a sua vez!”. E novamente, “Eu?!?!?!”. Depois de muita oração e reflexão, decidi encarar o desafio, mas avisei que então faríamos a coisa diferente, pois eu não era regente, nem estudava para isso. Tornaríamo-nos um grupo vocal, com elementos corporais e cênicos, voltado para a música popular. Eu dirigiria e cantaria junto.Fotos Missa (115)

E assim, o mundo da música vocal e coral entrou na minha vida para não sair mais!

E assim, como uma continuação do Coral Jovem, nasceu o Madrigal CorDaVoz!

Fotos Missa (567)

Fotos por Foto Flores

*************************************************************************************************

(ENGLISH)

Fotos Missa (49)During my last visit to Brazil, I participated of the Thanksgiving Mass for Sister Herminia’s 85th Birthday. Pure bliss! Singing with the St. John the Baptist Church Youth Choir was like going back in time, to many years of friendship and good music.

Sister Herminia comes from the South region of Brazil, the state of Rio Grande do Sul. She belongs to the Sisters of the Congregation of the Immaculate Heart of Mary and for more than 60 years has shared her musical life with my hometown, Rio Claro, in Brazil. She taught music at the Puríssimo Coração de Maria School, where she created the Melo-Ritmico Group and the Children’s Choir. She also initiated the Youth Choir (Coral Jovem) in the 70’s and different generations of singers came to pay her homage last August. The group was a musical reference in the city of Rio Claro and won awards throughout the state of São Paulo.

My story with Sr. Herminia starts in 1995. I already admired her work with the Youth Choir from before, but in January of 95 I decided to try a spot with her alto singers! Rehearsals were held on Saturdays, with sectionals during the week. Problem! I was studying architecture in another city, São Carlos, and would not be able to be there during the week. Because I played the piano already, I convinced Sr Herminia that I could learn my lines on my own! Such an intensive period of learning! Posture, vocal technique, reading a 4-part score, trips, competitions, awards and so much more! All in the 2 years (only!!!) where I had the opportunity of singing with her in the choir.

Fotos Missa (118)

Sr. Herminia had a “premonition” that would change my life, during one of our trips. On our way back, inside the bus, we were singing, she took me aside and said: “Milene! How about music?! Have you ever seen yourself conducting choirs?”. “Me, sister???!!! But what about architecture???”

And she was right!!! Three years later I was filling out my application for Music College, in the city of Campinas. (And guess who was my guitar accompanist? Marcelo Santos!).

At the end of 1996, Sr. Herminia had some health issues and the Choir had its scheduled performances for the end of the year. Along came Marcelo Santos, who was a Conducting Major at Unicamp, to prepare us for the concerts. I was graduating from Architecture that year, and was definitely bitten by the bug – Music got me for once and for all! From my years studying classical piano came my main musical training, but my love for singing was brought to life during my years with the Saint John the Baptist Church Youth Choir, among other groups. And there I went to my music college audition in popular music- voice, accompanied by Marcelo.

Fotos Missa (566)

At one point when he became unable to conduct the choir, the remaining members turned to me and said “Now it’s your turn!”. And I said again “Me?!?!?!”. After a lot of prayer and reflection, I decided to accept the challenge. I warned them, however, that we would change a couple of things since I was not a classically trained conductor. It was then that we became a vocal group, incorporating scenic elements and body movements and we started performing mostly Brazilian popular music. I was directing the group and sing with them.

And just like that, the world of vocal and choir music came into my life in a definite way!

And just like that, as a continuation of the Youth Choir, Madrigal CorDaVoz was born!

Fotos Missa (456)

Photos by Foto Flores

Concerts

Colors of Brazil: from Folk, to Jazz to Pop – Nov 2nd, 2014 – 3pm

Dear friends,

I would like to share with you that I have a Concert coming up with some of my own compositions and also Brazilian repertoire, going from Children’s Songs to the “Jazzy” Bossa Nova, to different Rhythms from Brazil.

Colors of Brazil: From Folk, to Jazz, to Pop
Sunday, November 2nd, 3pm
Bloomingdale School of Music
323 West 108th Street, New York, NY, 10025
Free!!!
poster_bsm
Hope to  see you there!!
xoxo
Dalcroze - Português

Dalcroze, Artes e Pessoas – partes 3 e 4

3. Dalcroze e Pessoas

As origens de Dalcroze como um compositor suíço mostram um profundo entendimento de sua gente, de seus arredores e de seu país como uma entidade coletiva. Existe um amor histórico da Suíça pelo canto: “É um canto de uma gente feliz, com um sentimento unânimo pelo canto em grupo”. Em seu tempo, Festivais Nacionais, com performances ao ar livre e grande número de participantes eram muito comuns.

Também em sua escola em Hellerau (1910 – 1914), um dos principais elementos era o conceito de comunidade, de sociedade, onde as pessoas trabalhavam e viviam em harmonia. Como uma cidade-jardim, Hellerau seria criada seguindo o “princípio de união, de performance e também de espírito”.

“Toda a música era feita nas aulas de solfejo. A escola não possuía orquestra, coral ou solistas, pois Dalcroze não queria nada disso – somente música e pessoas”. (Spector , I – Rhythm and Life, The work of Emile Jaques-Dalcroze – tradução livre)

Continue reading “Dalcroze, Artes e Pessoas – partes 3 e 4”

Dalcroze - English

Dalcroze, Arts and People – parts 3 & 4

3. Dalcroze and People 

Dalcroze´s background as a Swiss composer shows a profound understanding of the people, his surroundings and his country as a collective entity. There is a historic Swiss love for singing: “It is a singing of a happy people, with unanimous sentiment in group singing.” At his time, National Festivals, with performances in open-air and in large number of participants were very common.

Also at his school in Hellerau (1910 – 1914) one of the focal points was the concept of community, of society, where people worked and lived in harmony. As a garden city, Hellerau would be created on the “principle of togetherness, of performance as well as spirit.”

“All music was done in the solfége class. The school had no orchestra, no choir or soloists, for Dalcroze wanted none of these – only music and persons”. (Spector , I – Rhythm and Life, The work of Emile Jaques-Dalcroze)

Continue reading “Dalcroze, Arts and People – parts 3 & 4”

Dalcroze - Português

Dalcroze, Artes e Pessoas – parte 2

2. Dalcroze e as Artes

“Eu espero ansioso por um sistema de educação musical no qual o próprio corpo fará o papel de intermediário entre o som e o pensamento, tornando-se o meio direto para nossos sentimentos…. A criança será então educada na escola não somente a cantar, ouvir atentamente, e marcar o tempo, mas também a mover e pensar cuidadosa e ritmicamente. Pode-se começar regulando os mecanismos do andar e daí prosseguir a aliar movimentos vocais com gestos do corpo todo. Isso se consistiria em educação em ritmo e através do ritmo ao mesmo tempo.” (tradução livre)

(E. J. Dalcroze – “The Place of Ear-training in Musical Education” (1898) – in Rhythm, Music and Education – pages 4 -5)

Ritmica

A Rítmica Dalcroze pode ser definida como um método de ensino musical que usa os movimentos naturais do corpo com origens no trabalho desenvolvido pelo educador musical suíço Emile Jaques-Dalcroze no começo do século 20. Em essência, este método deriva do conceito de que o corpo humano possui todos os ingredientes necessários para se entender o fenômeno musical; os movimentos naturais, como uma reação às atividades auditivas, são a base para o estudo do ritmo e as conexões que ocorrem entre o corpo e a mente podem ajudar a se entender a teoria musical.

Como uma estudante do método Dalcroze, e enquanto participando e observando aulas de Rítmica, eu posso ver claramente os resultados obtidos por esse trabalho. O movimento básico e orgânico de andar, por exemplo, é transformado no conceito de Continue reading “Dalcroze, Artes e Pessoas – parte 2”

Dalcroze - English

Dalcroze, Arts and People – part 2

2. Dalcroze and Arts

 

“I look forward to a system of musical education in which the body itself shall play the role of intermediary between sounds and thought, becoming in time the direct medium of our feelings…The child will thus be taught at school not only to sing, listen carefully, and keep time, but also to move and think accurately and rhythmically. One might commence by regulating the mechanisms of walking, and from thence proceed to ally vocal movements with gestures of the whole body. That would constitute at once instruction in rhythm and education by rhythm.”

(E. J. Dalcroze – “The Place of Ear-training in Musical Education” (1898) – in Rhythm, Music and Education – pages 4 -5)

Eurhythmics

Dalcroze Eurhythmics can be defined as a method of teaching music using natural body movements with its roots based in the work developed by Swiss music educator Emile Jaques-Dalcroze in the beginning of the 20th century. In essence, this method derives from the concept that the human body possesses all the ingredients necessary to understand the musical phenomena; the natural movements, as a reaction to the listening activities, are the basis for the study of rhythm and the connections that occur between body and mind can help one better understand music theory.

As a student of the Dalcroze method, and while participating in, and observing eurhythmics classes, I can clearly see the results accomplished by this work.  The basic organic movement of walking, for example, is transformed into the concept of Continue reading “Dalcroze, Arts and People – part 2”